quinta-feira, 31 de julho de 2014

Adolescência e trabalho, combinam?

Sobre o trabalho "forçado" na adolescência, evasão escolar, educação e sociedade.

Comecei a trabalhar cedo. Ouvi, desde criança, que o trabalho dignifica o homem. Porém não fui obrigado a trabalhar. Apenas sabia que na vida nada vem de graça. Tenho trabalhado e estudado simultaneamente desde a adolescência,  e sei que é necessário nos esforçarmos para conseguirmos o que queremos e precisamos aprender a gostar de trabalhar.
Acredito que a teoria e a prática são dois lados de uma mesma moeda, pois uma sem a outra, por si só, não faz alguém alcançar a plenitude de sua capacidade. Para mim a vida é um aprendizado constante e, neste caso, entendo o conceito de teoria como o estudo, enquanto a prática é o trabalho. Vejo a necessidade de se apresentar estes dois conceitos juntos desde a infância (de maneira mais lúdica), e na adolescência, quando a capacidade intelectual e física do indivíduo já permite, de forma mais prática e próxima da realidade na vida adulta.
Penso que o trabalho na adolescência, conjunto ao estudo, e levando-se em consideração o tempo e intensidade para que um não atrapalhe o outro e tampouco acelere de forma não salutar o processo normal de formação do ser humano adulto, contribui de forma muito positiva para o crescimento deste adolescente como  um indivíduo socialmente mais completo, preparado para a vida adulta e realizado.
Desta forma, apenas com uma completa reestruturação conceitual e prática na educação, seria possível, gradualmente, que fosse resolvido o problema da evasão escolar na adolescência, resultando ainda numa profunda mudança na sociedade como um todo.

Nenhum comentário: