quinta-feira, 19 de julho de 2012

Me sigo


Eu me sigo por onde vou,
E, de repente já não sei qual eu seguia.
Qual mandava, ou qual obedecia.

Há uma luta dentro de mim.
De fora pra dentro, eu me arrebento.
De repente, o não é sim.

Me vejo ao longe, me perco de vista.
Me vejo tão de perto
que não sei nem se ainda posso me chamar assim

Eu me sinto saudada, abraçado comigo.
Mas me quero longe.
Não quero me sufocar.
Me amar.

Nenhum comentário: