quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Será

Quer dizer que o menino tem dois pulmões então, Neto?  É melhor a gente rir com as coisas viu! Dizem que rir demais dá rugas, mas chorar também. Afinal, eu não me importo tanto assim com as rugas...

"Esse Fernando parece que tem dois pulmões", disse Neto, ex jogador do Corinthians e comentarista da Band, durante a final da copa do mundo sub-20. Depois, irritado com as piadas, Neto disse que não era médico, e sim comentarista de bola. Ah, bom!!!

A minha semana passada foi bem legal, fui na segunda musical do Stammtisch, que fazia mais de 4 meses que eu não ia, vi amigos e conversei, muito bom! Durante a semana toda vi vários amigos, e saí um pouco mais de casa...

No sábado fui assistir a uma palestra, com o tema "Astrologia e a lei da sincronicidade". Como já dizia Hermes Trismegisto, na Tábua de Esmeralda:



"(1) É verdade, certo e muito verdadeiro:
(2) O que está embaixo é como o que está em cima e o que está em cima é como o que está embaixo, para realizar os milagres de uma única coisa.
(3) E assim como todas as coisas vieram do Um, assim todas as coisas são únicas, por adaptação.
(4) O Sol é o pai, a Lua é a mãe, o vento o embalou em seu ventre, a Terra é sua alma;
(5) O Pai de toda Telesma do mundo está nisto.
(6) Seu poder é pleno, se é convertido em Terra.
(7) Separarás a Terra do Fogo, o sutil do denso, suavemente e com grande perícia.
(8) Sobe da terra para o Céu e desce novamente à Terra e recolhe a força das coisas superiores e inferiores.
(9) Desse modo obterás a glória do mundo.
(10) E se afastarão de ti todas as trevas.
(11) Nisso consiste o poder poderoso de todo poder:
Vencerás todas as coisas sutis e penetrarás em tudo o que é sólido.
(12) Assim o mundo foi criado.
(13) Esta é a fonte das admiráveis adaptações aqui indicadas.
(14) Por esta razão fui chamado de Hermes Trismegistos, pois possuo as três partes da filosofia universal.
(15) O que eu disse da Obra Solar é completo."


Todas as manhãs eu subo uns 17 degraus de uma escada, para trabalhar no Contraste Studio com o Fabio. Estou trabalhando como webdesigner e programador. Aprendendo ainda. PHP, Joomla, Wordpress, Blogger, HTML, CSS... me divirto!Na segunda não fui na fisio, tava sem carro aqui. Mas a LPNet veio trocar a minha antena da internet. Upgrade de banda, antena de 5,8 GHz (olha a frequência do bagulho, maior medo!). Ainda bem que ela fica em cima do telhado, maior radiação isso aí... Agora a internet tá melhor, parou de cair toda hora.Hoje a fisio foi pesada. Até sangrou onde tem um parafuso do fixador de Ilizarov. Mas faz parte. Eu quero mais.


Hoje também eu consegui me sentar no banco do motorista do carro. Foi emocionante. Consegui colocar o pé no acelerador e no freio. Nos próximos dias vou tentar dirigir um pouquinho. Preciso ficar com mais um pouquinho de força na perna, para poder tirar o pé do acelerador e colocar no freio com rapidez.

Vamos curtir um Jorge Ben?




sábado, 13 de agosto de 2011

de volta à fisio

Passaram-se quase 40 dias sem fisioterapia.Explico: Faço fisioterapia na clínica da FMR, e como a faculdade estava de férias, fiquei sem fisio. Mas não pensem vocês que fiquei parado. Bom, acho que todos sabem que não fiquei...
Nesta semana voltei para a clínica. Segunda feira foi feita uma nova avaliação. Que me deixou muito feliz. As diferenças da primeira avaliação, menos de 90 dias atrás foram grandes. Nessa primeira avaliação eu fui de cadeira de rodas. Meus joelhos dobravam num ângulo de menos de 60 graus. Eu não conseguia tirar a perna da posição sem ajuda, e apoiar o pé no chão nem pensar. Dessa vez eu fui de muletas. O ângulo de dobra do joelho está em torno de 90 graus. Eu levanto a perna sozinho, mesmo com os aprox. 2,5 quilos do fixador de Ilizarov. E ainda dei uma andadinha pela sala.

Os exercícios de hoje me deixaram um pouco dolorido, bastante esforço muscular na perna esquerda e também na barriga, por conta de levantar e abaixar a perna. E como treme. E a perna dói, e o joelho dói. A cada tremida, eu ouço: De novo! Está conseguindo! E a cada dor: Mais uma vez! Você é forte!

Não posso deixar de comentar que a lua estava linda, inspiradora, poética!

Ah meu Deus, que isso continue assim! 

e agora?

agora juntem os seus gravetos e acendam as suas fogueiras
que ela ilumine os seus rostos e aqueça os seus corpos

me joguem na penumbra, onde as chamas podem ser transformadas em mil
em cada reflexo, de cada lágrima

não me deixem explicar, não me escutem
e falem todos ao mesmo tempo, para que eu me confunda e me cale

na dança do tempo, sem passo, e fora do rítmo
no canto da vida, fora do tom

e que eu seja eternamente a lembrança do que podia ter sido
se não estivesse na penumbra, confuso e calado

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Palavras

Ao acaso. Palavras. Resolvi escrever o que der na telha. Alguém quer um gole de café? Café essa hora da noite? Pois é. Tem louco pra tudo, e de perto ninguém é normal. A Aina, minha irmã mais velha, tinha uma camiseta com essa frase. Eu li isso a primeira vez quando tinha uns 11 anos. E nunca mais esqueci. Saber que de louco todo mundo tem um pouco. E não julgar. Porque de perto ninguém é normal. Nem você que está lendo. Nem eu. Muuuito menos eu. E nem quero. Quero ser louco, e estou bem assim. Como já disseram Arnaldo Babtista e Rita Lee:

"Dizem que sou louco por pensar assim
Se eu sou muito louco por eu ser feliz
Mas louco é quem me diz
E não é feliz, não é feliz
Se eles são bonitos, sou Alain Delon
Se eles são famosos, sou Napoleão
Mas louco é quem me diz
E não é feliz, não é feliz"

Eu bebo o meu café. E ele me dá sono. A chuva no telhado. Ela é tão gentil. A sombra do meu dedo torto. Torto. As cortinas são lilás. Combinam com a gentileza da chuva. Olho para  luz. A luz. É tão fulgaz. Ela não é como a escuridão. A escuridão parece ser eterna. Tente guardar uma caixa de luz. E uma de escuridão? Qual é mais fácil?

Eu me escapo de mim, e me trago de volta. Vou com o vapor do café. Volto com a fé. Não é que eu escrevi realmente o que está dando na telha? E é a chuva. Affe, isso não teve graça. Mas são só meus pensamentos, meus momentos, movimentos dos meus dedos no teclado. Inclusive o meu dedo torto. Momentos.

Ao acaso.