sábado, 21 de maio de 2011

O quintal

Hoje saí para dar uma volta no quintal. Depois de 46 dias, e visto da cadeira de rodas, ele estava bem diferente. Notei o crescimento das bananeiras e mamoeiros, das flores, da grama... Senti o vento e os cheiros, da terra, e das plantas. Tomei um sol, enquanto lia Adonai (estou gostando, Miriam). Li o seguinte trecho:

"O professor perguntou a seus discípulos: "Que é a vida?" A raposa respondeu: "É uma galinha velha." O gato respondeu: "É uma ratazana." O rato disse: "É um pedaço de carne, uma ratoeira desconsertada e um gato saciado." - E assim também são os homens - meditou o professor. - Cada qual define a vida de acordo com seus interesses, formando assim seus pequenos conceitos limitados. Porém a verdade é que a vida não tem definição, porque a vida é Deus, e este é incogniscível."

Alguém já tentou encontrar uma definição científica para a vida? Desconfio que ninguém vai encontrar nada, pois a ciência, da maneira tradicional como existe hoje, não reconhece a espiritualidade, e assim não consegue encontrar uma resposta em sua racionalidade para o que é a vida.

No meu ponto de vista eu concordo com a frase tirada de Adonai, e acho que espiritualidade e ciência devem andar juntas, pois não consigo, em toda essa vida presente no pequeno espaço do quintal de minha casa, conceber uma vida sem a presença do espírito.

Nenhum comentário: